Professores da UEPB entram em greve por tempo indeterminado contra ofensiva do governador

UEPB-greve-abr2017Os professores da Universidade Estadual da Paraíba amanheceram esta quarta-feira (dia 12) em greve. Uma greve por tempo indeterminado, aliás, deliberada em assembleia geral realizada na semana passada. Segundo a Aduepb (Associação dos Docentes), a falta de diálogo do governador Ricardo Coutinho e, especialmente, o corte nos repasses para a Instituição motivaram a paralisação.

Há uma sensação em parte da comunidade acadêmica que o governador Ricardo Coutinho estaria tentando esvaziar financeiramente a UEPB para fechar depois, como tem feito com centenas de escolas estaduais.

Mobilização – Os professores em greve irão visitar todos os campi e promover também atos públicos, para denunciar a situação de penúria da Instituição, por conta da redução nos repasses do duodécimo. Não se descarta, inclusive, uma manifestação em frente ao Palácio da Redenção, para chamar a atenção do governador, dos deputados estaduais e da Justiça para a crise da UEPB.

Reivindicações – Dentre as reivindicações da categoria constam 10 pontos principais: 1- defesa da autonomia da UEPB; 2- respeito ao orçamento da UEPB, aprovado pela ALPB, de R$ 317 milhões; 3- contra a redução do quadro de professores da UEPB; 4- contra a redução de vagas para alunos vindos do Enem/ SISU e 5- reposição salarial de 23,61%.

E ainda: 6- liberação das progressões funcionais; 7- realização de concursos públicos para professores; 8- mais investimento na infraestrutura dos campi; 9- maior investimento em assistência estudantil; 10 – cumprimento dos termos do acordo que pôs fim a greve de 2015.

Helder Moura



Comentários