Lira declara neutralidade durante condução da comissão do impeachment

Raimundo Lira

Raimundo Lira

O senador paraibano Raimundo Lira foi indicado pela bancada do PMDB para presidir a comissão especial que analisará o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, que será instalada na próxima segunda-feira (25). Na ocasião, serão eleitos o presidente e o relator. Após a formalização da indicação, Lira falou ao Portal sobre os trabalhos da comissão e adiantou que terá uma postura neutra ao presidir as reuniões.

“Acho que vai ser uma missão muito difícil, muito espinhosa, mas eu sou uma pessoa calma e disciplinada. No Senado Federal, historicamente, os senadores têm um comportamento mais calmo, menos exaltado. É uma comissão relativamente pequena, com apenas 21 senadores, e eu estou me sentindo totalmente à vontade para presidir essa comissão, até porque eu já tenho seis anos de experiência presidindo as principais comissões permanentes do Senado e do Congresso Nacional”, disse o senador Raimundo Lira.

Sobre o fato de presidir a comissão sendo correligionário do vice-presidente Michel Temer, substituto constitucional da presidente, Lira afirmou que não pode fazer qualquer juízo de valor, pois fará um trabalho suprapartidário.

Portal correio

 



Comentários