Prefeito da PB é acusado de descumprir acordo com MP e atrasar repasse da Câmara

DSC_0367Problemas relacionados ao repasse do duodécimo não havia sido repassado por parte do Poder Executivo para o Poder Legislativo, parece que ultrapassou as fronteiras na Rainha da Borborema, que no ano passado teve a gestão acusada de tal prática, a realidade é vivida pelo município da Baía da Traição localizada no Litoral Norte paraibano.

O fato foi relatado pelo vereador Nathan Galdino, que é cacique e denunciou em sua página social no facebook o prefeito da Baía da Traição, Manoel Messias, por descumprimento de acordo com o Ministério Público, de atrasar salários dos funcionários e de não repassar integralmente o duodécimo da Câmara dos Vereadores.

Segundo o Portal PB Vale que acompanha a política no Litoral Norte, Nathan, o prefeito não cumpriu o acordo realizado com o promotor José Raldeck de Oliveira,
de que até o mês de dezembro do ano passado colocaria a folha de pagamento de pessoal da Prefeitura em dia.

“Além de não cumprir a informação prestada ao MP o prefeito de Baia da Traição, continua com 4 meses de salário atrasados, da classe dos garis, bem como inclusive muitos outros funcionários do quadro administrativo, venho expor minha revolta e repulsa”, postou.

Para ele, Messias faltou com a verdade ao enviar documento com tabela de pagamento que garantia a regularização da folha até o último mês de 2015. “Estarei ainda hoje provocando o promotor de justiça quanto ao gestor Municipal faltar com a verdade”, revelou.

O parlamentar aproveitou para lamentar as inconstâncias nos repasses mensais pelo Poder Executivo ao Poder Legislativo. “Também venho pedi providências ao presidente da Câmara Municipal de Baia da Traição, quanto ao não repasse do duodécimo da Câmara dos vereadores, que ele vem repassando pela metade”, denunciou.

Galdino ainda revelou que o gestor teria repassado a Câmara no último dia (20) desse mês, a quantia de R$ 22 mil reais, ficando pendentes cerca de R$ 30 mil reais.

Fonte: PB Agora