STJ mantém prisão de Coriolano, Waldson e Gilberto

A vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Maria Thereza de Assis Moura, indeferiu, na noite desta segunda-feira (23) pedidos de extensão da decisão do ministro Napoleão Maia, que soltou o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), para outros presos na Operação Calvário.

Advogados tentaram impor aos presos Coriolano Coutinho (irmão de Ricardo), Waldson Souza (ex-secretário de Saúde), Gilberto Carneiro (ex-procurador-Geral do Estado), José Arthur Viana (ex-secretário de Educação) e Vladirmi Neiva (empresário) a mesma medida aplicada a Ricardo pelo ministro Napoleão Maia.

Procurados pela reportagem do Portal MaisPB, o STJ e a Procuradoria-Geral da República informaram que ainda não houve recurso da liminar que libertou Coutinho da prisão. A PGR adiantou que ainda analisa se vai ocorrer. No último sábado, o vice-procurador-geral eleitoral da República, Humberto Jacques, emitiu parecer para a manutenção da prisão do ex-governador, orientação que não foi seguida por Napoleão Maia.

Ricardo, segundo as investigações, é apontado como chefe da organização criminosa que desviu mais de R$ 130 milhões da saúde e da educação da Paraíba.

A defesa do ex-secretário da Paraíba, Waldson Dias de Souza, ingressou no Superior Tribunal de Justiça (STJ) com um pedido de desistência sobre o processo em que pedia uma habeas corpus.

Wallison Bezerra – MaisPB



Comentários