Prefeito participa de reunião no Cooperar com pauta sobre o ‘PB Rural Sustentável’

O prefeito de Rio Tinto, Fernando Naia, participou de uma importante reunião nesta segunda-feira (16), no Projeto COOPERAR em João Pessoa, para tratar do “PB Rural Sustentável” com a coordenação e equipe técnica do Projeto.

A audiência solicitada pelo próprio prefeito visando novos investimentos na área para Rio Tinto, contou com a participação do secretário da Agricultura e Pesca – Antônio Macedo, do presidente do Conselho Municipal do Desenvolvimento Rural Sustentável – Antônio Justino, do diretor da Cooperativa Frutiaçu de Piabuçú – Benedito Tavares, do representante da Associação Comunitária de Salema – Jacinto Cruz e do líder comunitário da comunidade do Maracujá – José Azevedo.

Para o prefeito Fernando Naia, uma das áreas que Rio Tinto vem recebendo importantes investimentos é o setor agrícola, desde o apoio do poder público municipal com distribuição de sementes, corte de terra, e apoio técnico aos pequenos produtores. O gestor entende que essa é uma área importante e estratégica para fortalecer a economia do município, bem como apoiar famílias que atuam na área, gerando emprego, renda e segurança alimentar.

– “Estamos aqui trabalhando e dialogando para avançarmos cada vez mais na agricultura. O projeto PB Rural Sustentável é um importante meio para isso, e por isso estamos aqui, com o secretário da agricultura e pesca, e outros lideres de comunidades de Rio Tinto, para nos alimentarmos de informações importantes e assim, conquistarmos cada vez mais, ações de interesse da agricultura para Rio Tinto”, destacou o prefeito Fernando Naia.

*PB Rural Sustentável *

– O programa Paraíba Rural Sustentável do Governo do Estado deve investir mais de R$ 300 milhões na agricultura familiar, melhorando o acesso à água, reduzindo a vulnerabilidade agroclimática e aumentando o acesso a mercados da população rural da Paraíba, beneficiando 45 mil famílias do Estado.

O programa visa resgatar toda a produção dos pequenos agricultores, tendo como componentes principais o abastecimento d’água e a área produtiva. A previsão é de que sejam implantados no Estado, abastecimentos de água singelos; abastecimentos de água completos; cisternas de alambrado; e dessalinizadores com aproveitamento de rejeitos para garantir o acesso à água, entre outros.



Comentários