Polícia Federal solicita inclusão do ex-governador Ricardo Coutinho na lista da Interpol

Ex-governador se encontra na Europa em viagem com a família.

O ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, um dos alvos da Operação Calvário, deflagrado na manhã desta terça-feira (17) é considerado foragido pela Polícia Federal. Segundo informações, o órgão solicitou a inclusão do seu nome na lista de procurados da Interpol. A informação é do G1.

Segundo a Polícia Federal, foi constatado que um dos alvos da operação, que ocupou cargo de alto escalão no executivo estadual, encontra-se fora do país e, por isso, foi solicitada a inclusão do seu nome na difusão vermelha. Ricardo está em viagem na Europa.

Além disso, também foi determinada a prisão preventiva das deputadas estaduais Estela Bezerra e Cida Ramos, a prefeita de Conde, Márcia Lucena, a ex-secretária de saúde do Estado, Cláudia Veras, assim como o ex-procurador Gilberto Carneiro e o atual secretário-chefe de Governo, Edvaldo Rosas.

Também são alvos dos mandados de prisão preventiva Coriolano Coutinho, Bruno Miguel Teixeira de Avelar Pereira Caldas, José Arthur Viana Teixeira, Breno Dornelles Pahim Neto, Francisco das Chagas Ferreira, Denise Krummenauer Pahim, David Clemente Monteiro Correia, Márcio Nogueira Vignoli, Valdemar Ábila, Vladimir dos Santos Neiva e Hilário Ananias Queiroz Nogueira.

Sobre a operação

A operação, realizada em conjunto com o o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado GAECO/PB, Ministério Público Federal e Controladoria-Geral da União – CGU, apura desvio de recursos públicos na ordem de R$ 134,2 milhões, dos quais mais de R$ 120 milhões teriam sido destinados a agentes políticos e às campanhas eleitorais de 2010, 2014 e 2018.

Cerca de 350 Policiais Federais, além de Procuradores da República e auditores da CGU dão cumprimento a 54 mandados de busca e apreensão e 17 mandados de prisão preventiva, nos estados da Paraíba, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Goiânia e Paraná.

 



Comentários