O VLT é nosso: Cida Ramos entra com representação no MPF contra retirada de trem

A deputada estadual acredita que a medida trará prejuízos irreparáveis para a população mais pobre da Região Metropolitana

A deputada estadual eleita, Cida Ramos, entregou nas mãos do Procurador da República, José Godoy Bezerra, uma representação contra a Companhia Brasileira de Trens Urbanos – CBTU, na tarde desta terça-feira (13). O motivo é a retirada de um veículo que opera em João Pessoa, para compor uma linha de Veículos Leves Sobre Trilhos (VLT) em Brasília, como amplamente noticiado pela imprensa local.

A iniciativa de Cida Ramos visa barrar a ação da CBTU, por entender que a medida trará irreparáveis prejuízos para a população beneficiária do frota. “Essa eminente retirada do trem, que atende a população mais pobre de João Pessoa, Cabedelo, Bayeux e Santa Rita é extremamente preocupante, visto que uma frota que já é deficitária estará sendo diminuída e, consequentemente, causando sérios danos à oferta de serviços”, disse ela.

Atualmente, de acordo com dados colhidos no site da empresa, cerca de 10,1 mil passageiros são transportados por dia. A determinação do Conselho de Administração da Companhia Brasileira de Trens Urbanos trará sérios inconvenientes, principalmente para pessoas de baixa renda, principais usuários atendidos pela companhia. Para Cida Ramos, “a CBTU não avalia o infortúnio que trará aos que mais precisam”. Vale ressaltar que a circulação normal dos VLTs no âmbito da Região Metropolitana de João Pessoa utiliza apenas 03, dos 05 veículos disponíveis, sendo apenas 02 em operação simultânea e 01 em manutenção programada.

A deputada estadual ainda esboçou que confia na valorosa atuação do Ministério Público Federal. ”São necessárias medidas efetivas para assegurar um transporte público digno, eficiente e seguro, pois, como se sabe, constitui-se direito social dos cidadãos. Tenho plena convicção do empenho desse órgão”.

Cida Ramos ainda reiterou que estará nas ruas, fazendo uma forte mobilização social, a fim de evitar esse impacto tão negativo no dia-a-dia dos que mais necessitam.



Comentários