“O PSB não força ninguém a estar junto”, diz Ricardo sobre ameaça do PT de não apoiar chapa governista

Governador ainda frisou que nenhum partido terá hegemonia em relação às decisões a serem tomadas para as eleições

O governador Ricardo Coutinho (PSB) espera a compreensão dos partidos para conter o clima de hostilidade entre o PT e o Democratas em relação à formação da chapa governista que disputará o Governo do Estado, em outubro. Na manha desta quarta-feira (23), o socialista lembrou que o grupo vem da mesma caminhada e que nenhum partido terá hegemonia em relação às decisões a serem tomadas para as eleições.

“Se o PT quiser, estaremos aqui na mesma caminhada. Ninguém pode acusar o Governo do Estado de fazer pirueta na política. Esse grupo aqui não faz pirueta. Tem começo, meio e fim, com coerência na política”, garantiu. Ricardo ressaltou sua posição contrária ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, bem como à prisão do ex-presidente Lula (ambos do PT), e lembrou que a Paraíba foi perseguida pela postura adotada.

“O PT é um parceiro, agora, o PSB tem essa caminhada. Quer que o PT esteja junto, mas não força ninguém a estar junto. Quer junto por uma questão de que todos nós seremos cobrados por nossas posturas. Como vamos caminhar nessas eleições, é outra história”, disse, ao citar sua ‘defesa contundente da formação de uma frente democrática’. “A questão do Brasil hoje não é esquerda ou direita, é democracia. Esse é o debate, e os partidos e os segmentos da sociedade têm que compreender que é momento da unidade em torno de um projeto democrático. Nenhum parceiro pode ter o hegemonismo num processo desse”, avisou.

Nesta quinta-feira (23), o governador receberá o ex-ministro da Educação Fernando Haddad, que visita João Pessoa para discutir a situação do PT no processo político. Sobre a agenda, Ricardo disse que tem “o maior prazer em receber as pessoas que vêm ou ser recebido em outros espaços” e que já se encontrou com o ex-prefeito de São Paulo outras três ou quatro vezes.

Combustíveis – Em relação ao pedido aprovado na Câmara Municipal de João Pessoa, na manhã de terça-feira (22),  solicitando a redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre os combustíveis, o governador descartou que o Estado tenha como atender. “Minha resposta é curta e direta: essa é uma responsabilidade do Governo Federal”, pontuou. Ele salientou que a Paraíba tem vencido a crise, mas que não aceita “pegadinha”. “Vão cobrar a Temer, governo que eles fazem parte. Por que o prefeito de João Pessoa não diz o motivo de sustentar o Governo Temer?”, provocou. Ricardo lembrou que decisão da Presidência da República de eliminar a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) sobre o diesel, vai prejudicar diretamente os estados que recebiam parte dessa receita.

Acolher e Empreender – A declarações do governador ocorreram durante o lançamento da 4ª Edição do Projeto Acolher, que proporciona melhorias na qualidade de vida dos idosos, por meio da formalização de convênios com Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI) para execução de ações socioassistenciais nas áreas da saúde, lazer, construção e manutenção da infraestrutura das instituições. Na ocasião também foram assinados contratos do Programa Empreender/PB. Ricardo Coutinho ainda anunciou o pagamento do funcionalismo para os dia 29 e 30 deste mês.

Blog do Gordinho



Comentários