Líder do Governo aponta “egocentrismo e vaidade” de Ricardo Coutinho

O líder do governo na Assembleia Legislativa do Estado, deputado Ricardo Barbosa (PSB), ao comentar na tribuna da Assembleia a “crise do PSB”, refutou, declarações do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), para quem uma parcela dos deputados governistas representa “o atraso, as velhas e reprováveis práticas” e o comprometimento do resultado e êxito da atual gestão. Criticou, ainda, o que classificou de “desarrazoada autofagia” no partido.

“Nesses rompantes, sempre bem recheados de vaidade e egocentrismo, chega a dizer que no último pleito elegeu 22 deputados estaduais, um federal, um senador e o próprio governador. É desmesurado que uma única pessoa, por maior que seja a sua liderança, possa se creditar ou se autorresponsabilizar pela vitória de praticamente todos os que lograram êxito num pleito”, avaliou Barbosa, considerando essas declarações um desrespeito ao legado de vida de muitos e seu histórico de lutas.

O líder do governo, pessoalmente atacado, disse que sempre se pautou pela boa política e boas práticas pregadas pelo ex-governador. E que, por isso mesmo, foi reconhecido por aquele, ao lhe confiar importantes tarefas, entre elas a direção da Suplan e secretaria executiva do PAC.

“Essas milhares de obras executadas não lhe causaram nem causarão nenhum desassossego, porque elas foram tocadas por mim e pelo seu, agora, governador João Azevedo (à época secretário estadual). Tudo o que fizemos, e você atestou isso inúmeras vezes, foi sempre em nome da boa política”, frisou, exibindo vídeos em que Coutinho lhe teceu inúmeros elogios ao trabalho desenvolvido naqueles cargos.

Por fim, rebateu outra fala do ex-governador, que afirmou que Ricardo Barbosa nunca havia obtido sequer quatro mil votos antes da última eleição. Ele discorreu sobre todas as suas votações e, mais recentemente, sobre os 33 mil votos obtidos em 2014 e os quase 43 mil em 2018, “sem desmerecer os tickets-alimentação que foram distribuídos por vários municípios”, sem citar em benefício de que parlamentares eleitos.

Na íntegra, o pronunciamento:

Sr Presidente, caros colegas:

Essa Casa e, em particular, os deputados integrantes da base aliada, têm sido recorrentemente atacados pelo ex-Governador do Estado, nas sucessivas entrevistas que tem concedido à imprensa paraibana.

Na sua depreciativa e sempre enigmática avaliação dos fatos recentes, na chamada crise do PSB, uma parcela de nós, deputados, representa o “atraso, as velhas e reprováveis práticas e até o comprometimento do resultado e êxito da gestão sob o competente comando do Governador João Azevedo”.

Nesses rompantes sempre bem recheados de vaidade e egocentrismo, chega a dizer que no último pleito “elegeu 22 deputados estaduais, um federal, um senador e o próprio Governador”.

É incontroverso o fato de que um governo bem avaliado pela população referencia positivamente – numa disputa eleitoral – àqueles que o apoiam ou são apoiados.

É desmesurado, contudo, que uma única pessoa, por maior que seja a sua liderança, possa se creditar ou se auto- responsabilizar pela vitória de praticamente todos os que lograram êxito num pleito.

Tamanha presunção, além de desconstruir e aviltar valores históricos de luta, devotamento e trabalho em defesa da Paraíba de alguns, soa desrespeitoso ao legado de vida de muitos.

Mas, senhor Presidente, nobres colegas; grande parte do que tem sido dito, ou quase tudo, poderia ser rebatido, com eloquência ou veemência, até.

Todavia, me permitirei, apenas, a contextualizar algumas impressões que foram formuladas a meu respeito pelo ex-Governador que, em todas as suas recentes entrevistas, enfatiza “A BOA POLÍTICA, AS BOAS PRÁTICAS”, como premissas basilares ao sucesso desse PROJETO autoproclamado SEU!

Essas afirmações, e teria dezenas de outras a mostrar- lhes, são tão eloquentes que, certamente, expressam e traduzem o que eu poderia pronunciar aqui em 10 ou 20 laudas de discurso.

Espero, contudo, que essa desarrazoada autofagia que nos cerca encontre e respeite limites.

Pois, como dizia o sábio e querido Manoel Barbosa, meu saudoso pai: “BRIGA NENHUMA É BOA; E A BRIGA EM QUE TODOS PERDEM, ESSA É O FIM”.

Por último, estimado Presidente Adriano Galdino, cumpre-me não apenas realçar, mas assegurar que, dos 3 eixos prioritários das gestões comandadas pelo ex-Governador -SAÚDE, EDUCAÇÃO e INFRAESTRUTURA -, o mais exitoso, como ele próprio enfatiza e o que seguramente se transformou no grande responsável pelos últimos resultados eleitorais, foi o de obras.

Ah, nessa quadra, é-me imperativo afirmar, meu caro ex-Governador: essas milhares de obras executadas não lhe causaram, nem causarão nenhum desassossego.

E sabe por que?

Estou certo que sabe!

Porque elas foram tocadas por mim e pelo “seu”, agora, Governador João Azevedo.

Espero também que ENTENDA e que não veja nenhuma BOBAGEM nisso. Porque tudo o quanto fizemos, e você atestou isso inúmeras vezes, foi sempre em nome da BOA POLÍTICA!

Era o que eu tinha a dizer.

Muito obrigado!

Parlamento PB



Comentários