Hospital demite médica que vazou informações sobre Marisa

Fachada do hospital Sírio-Libanês, São Paulo (Breno Rotatori/VEJA)

Fachada do hospital Sírio-Libanês, São Paulo (Breno Rotatori/VEJA)

O Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, demitiu a médica Gabriela Munhoz, reporta a TV Globo nesta sexta-feira. Ela divulgou em um grupo de WhatsApp informações sobre o estado de saúde da ex-primeira-dama Marisa Letícia, mulher do ex-presidente Lula. O hospital informou que sua política de preservar a privacidades dos pacientes é muito “rígida” e não permite desvios.

De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) abriu uma sindicância para a apurar se houve violação ao Código de Ética por parte da médica ou participação de médicos em ofensas contra a ex-primeira-dama. Marisa Letícia sofreu um grave AVC nesta terça. A equipe médica responsável pelo caso confirmou que o quadro dela é irreversível e não há mais “fluxo cerebral”. A família já autorizou a doação dos órgãos.

Por Napoleão Soares com Revista Veja



Comentários