Diretor de escola, irmão do presidente da Câmara de Alagoa Grande é exonerado suspeito de ‘gastos sem comprovações’

O diretor da Escola José Ferreira de Paiva, de Canafístula, Distrito de Alagoa Grande, José Edivaldo dos Santos Almeida, foi exonerado do cargo por suspeita de desvio de dinheiro do Conselho Municipal de Educação da Escola. Os cheques da instituição estavam sendo trocados em depósitos de bebidas e em supermercados por dinheiro vivo.

Segundo relatos, José Edivaldo, conhecido como Zuza, utilizava o dinheiro para consumir bebidas alcoólicas em bares com os amigos. José Edivaldo é irmão do atual presidente da Câmara, vereador Marcelo de Canafístula, e ocupava o cargo por indicação política do parlamentar.

Os recursos só podem ser utilizados para a melhoria da infraestrutura física e pedagógica, o reforço da autogestão escolar e a elevação dos índices de desempenho da educação básica.

Em um áudio que vazou em grupos de WhatsApp, Zuza confessa que houve gastos exorbitantes, e faz referência a uma conta do Conselho com saldo de R$ 8 mil. No trecho, o ex-diretor afirma que iria repôr o dinheiro retirado, declarando que utilizou o dinheiro para práticas próprias.

 

Os cheques estavam retornando dos locais que eram passados por estarem sem fundo, ou seja, sem saldo bancário, isso é possível identificar no áudio, momento que Zuza diz; “os cheques que voltaram foi coberto”.

O presidente da Câmara de Alagoa Grande, Marcelo de Canafístula, tenta “abafar” o escândalo envolvendo o irmão, inclusive revendendo bens materiais para repôr o dinheiro na conta do Conselho.

Política&etc



Comentários