Desde a sua fundação: “Capim elege o primeiro prefeito filho da terra;

14237754_885786694899540_138799636793543173_nCapim elegeu no dia 2 de outubro, o primeiro prefeito capiense, Tiago Roberto Lisboa (PSDB), ex-presidente da Câmara de Vereadores, marchante, filho de agricultores. O tucano derrotou com sobra a disputa com seu principal rival,  o empresário, ex-vereador e prefeito da cidade, Edvaldo Freire (PMDB).

De quebra, após articulação com senador Cássio Cunha Lima e o presidente do PSDB estadual, Ruy Carneiro, Tiago recupera o Partido da Social Democracia Brasileira, após vários anos sob a presidência do ex-prefeito por duas vezes da cidade, Sérgio Lima, agora do PTB do ex-senador Wilson Santiago.

Com todas as urnas apuradas, Tiago recebeu 2.454 votos, contra 2.153 de Evaldo. Em percentuais, o tucano obteve 52,01% dos votos válidos, o peemedebista 47,75%. Apesar da desistência da candidatura, Sérgio Lima contou com 11 votos, o que equivale 0,23%. Após a renúncia, Sérgio apoiou Tiago.

Emancipado no final da década de 90, Capim elegeu prefeitos de outras cidades e estados. O primeiro prefeito eleito pelo PMDB foi João Batista Rocha, natural de Arês (RN), era um homem de confiança da família Fernandes de Lima, seguido por Sérgio Lima PSDB, nasceu em João Pessoa, a capital da Paraíba. Foram reeleitos, mas não conseguiram transferir votos para os candidatos que apoiaram, João Cardoso e Tiago Lisboa. Já o atual prefeito, Edvaldo Freire, é de Recife (PE) e foi derrotado na disputa da reeleição para a Prefeitura.  Agora, Tiago é o único filho de Capim a se eleger prefeito.

Sobre a transição de governo, Tiago quer as informações solicitadas ao atual prefeito. Ele indicou os contadores, os irmãos, Erivelton Kleber da Silva Ferreira (eleito vice-prefeito pelo PV), Elton César, além do professor, Ednaldo Lopes, para acompanhar passo a passo a situação administrativa financeira do município.

A equipe formada por Edvaldo, para as reuniões de trabalhos da transição de governo ficou formada pelo secretário da Administração, professor Daniel Dutra, procurador Jurídico, advogado Saulo Barros e o Auditor, Dr. Gilvan Herculano.

 

Por Chico Soares



Comentários