Derrotado, Cássio diz: “Não é preciso mandato para defender a Paraíba”

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB), primeiro vice-presidente do Senado, que não logrou reeleger-se no pleito de domingo, divulgou mensagem com vídeo nas redes sociais agradecendo ao eleitorado paraibano a confiança nele depositada para representá-lo ao longo de 32 anos de mandato. Salientou que continuará defendendo a Paraíba e os paraibanos em outras tribunas e que não é necessário ter mandato para cumprir essa missão. A derrota de Cunha Lima surpreendeu analistas políticos – durante um bom tempo, na campanha, ele esteve na dianteira, mas na reta final foi superado pela sua parceira, Daniella Ribeiro, do PP, e pelo seu rival Veneziano Vital do Rêgo (PSB), os dois novos senadores a partir de janeiro.

Cássio, em nenhum momento da mensagem à Paraíba, demonstra rancor ou desapontamento, muito menos responsabiliza aliados políticos, do PSDB e de outros partidos da coligação, pelo insucesso. Governador eleito por duas vezes, ex-deputado federal e ex-superintendente da Sudene, além de prefeito de Campina Grande em três ocasiões, Cássio esteve na linha de frente no Senado no movimento pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, do PT, e fez parte, na fase inicial, do bloco de sustentação política do governo de Michel Temer (MDB), mantendo, ultimamente, uma posição crítica diante de medidas e gestos do emedebista.

Filho do ex-governador Ronaldo Cunha Lima, que também foi senador, deputado federal e prefeito de Campina Grande, Cássio avaliou que fez uma campanha com ética e transparência, sem concessões ao populismo ou a outros expedientes assemelhados. Disse ter construído, ao longo do tempo, uma história linear, focada no trabalho em defesa dos interesses do Estado e das reivindicações e demandas da população paraibana. “Não mudarei essa conduta”, adverte ele, frisando ser grato pela acolhida que obteve na Paraíba em meio a desafios que lhe coube enfrentar. “Continuarei contribuindo com o Brasil e com a Paraíba, na medida das minhas limitações”, asseverou o parlamentar tucano. Seu filho, Pedro Cunha Lima, foi reeleito à Câmara Federal e, em mensagem, exaltou a conduta do pai na sua trajetória política, acentuando que ele honrou as melhores tradições paraibanas e pautou-se, sempre, pelo bem público.

O senador Cássio Cunha Lima insistiu no ponto de vista de que a solução para a crise grave porque o Brasil atravessa está condicionada à mudança de posturas por parte do Executivo no gerenciamento da máquina que, como já vinha pregando em suas intervenções, tornou-se inchada e ao mesmo tempo improdutiva, sem condições de oferecer contrapartida satisfatória, coerente com a realidade dinâmica que o país experimenta. Cunha Lima manifestou a esperança de que os parlamentares que vão compor a nova legislatura, entre eleitos e reeleitos, estejam atentos e sintonizados com o clamor das ruas no encaminhamento das suas propostas mais urgentes. “A geração de empregos é imprescindível e por ela devem se bater os congressistas que lograram êxito na campanha eleitoral recém-finda”, finalizou o senador. Ele foi um dos mais jovens parlamentares da história brasileira, tendo participado da Constituinte de 88, perfilando com figuras de projeção como Ulysses Guimarães, Mário Covas e Humberto Lucena.

Os Guedes



Comentários