VEJA VÍDEO ‘Quem acha que é o fim do Lula quebrará a cara’, afirma petista em coletiva

‘Há uma tentativa de me tirar do jogo político’, diz Lula após condenação. O ex-presidente Lula fala em pronunciamento à imprensa na sede do partido em São Paulo

Em sua primeira entrevista coletiva após ser condenado pela Lava Jato, o ex-presidente Lula disse, nesta quinta-feira (13), que a decisão judicial despertou sua disposição de se lançar candidato às eleições presidenciais de 2018.

“Se alguém pensa que com essa sentença me tiraram do jogo, pode saber que eu tô no jogo”, afirmou Lula.

“E agora quero dizer ao meu partido que até agora não tinha reivindicado, mas vou reivindicar, de me colocar como postulante à Presidência da República em 2018.”

Do lado de fora do Diretório Nacional do PT, no centro de São Paulo, essa fala foi recebida com aplausos por cerca de 300 militantes e apoiadores do ex-presidente, que promoveram um “abraço simbólico” a Lula na rua. No carro de som, anunciava-se a mobilização como lançamento da pré-candidatura do petista.

“Quem acha que é o fim do lula vai quebrar a cara. Quem tem o direito de decretar o meu fim é o povo brasileiro”, prosseguiu o petista.

Na quarta, (12) o juiz Sergio Moro, responsável pelo processo em primeira instância, sentenciou o presidente por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex de Guarujá (SP).

Lula criticou a decisão do juiz e afirmou que irá recorrer “em todas as instâncias”.

“Acho que é preciso processar essa sentença no CNJ. É preciso fazer processo contra quem mente, contra quem não disser a verdade nesse país”, afirmou.

Lula disse que não havia provas suficientes na decisão -uma tentativa de tirá-lo do jogo político.

“Ficaria mais feliz se eu fosse condenado com base em uma prova. O que me deixa indignado, mas sem perder a ternura, é perceber que você foi vítima de um grupo de pessoas que contou uma primeira mentira e passa a vida para justificar aquela primeira mentira”, afirmou.

“Não sei como alguém consegue escrever quase 300 páginas para não dizer absolutamente nada.”

AÇÃO

Na ação, Lula é acusado de receber R$ 3,7 milhões de propina da empreiteira OAS em decorrência de contratos da empresa com a Petrobras. O valor, apontou a acusação, se referia à cessão pela OAS do apartamento tríplex ao ex-presidente, a reformas feitas pela construtora nesse imóvel e ao transporte e armazenamento de seu acervo presidencial.

O petista não será preso —pelo entendimento do Supremo, só começará a cumprir a pena se a segunda instância ratificar a decisão.

O PT deve manter a candidatura de Lula à presidência em 2018, afirmou, na quarta (12), o ex-ministro Tarso Genro:”Ele é a única liderança, com apelo popular e capacidade política, para encaminhar uma saída não violenta para a crise”.

Também em entrevista a jornalistas, na quarta (12), a defesa de Lula disse que Moro “desprezou as provas da inocência” e “usou o processo para fins de perseguição política” ao condenar o ex-presidente.

Fonte: folha

Comentários