Prefeito reduz o próprio salário, da vice-prefeita e de comissionados

A medida é extrema, típica daquelas que são tomadas apenas em último recurso, mas necessária para a manutenção do equilíbrio financeiro e indispensável para a saúde fiscal do município. Como medida de enfrentamento à crise financeira vivenciada pelo município, o prefeito de Rio Tinto, Fernando Naia, reduziu o seu próprio salário em 15%. A vice-prefeita também será afetada pela medida, tendo o mesmo percentual de redução de 15% no seu salário. Já os servidores comissionados terão seus salários reduzidos em 10%.

De acordo com o gestor, o município vem sofrendo desde o início do ano com as sucessivas quedas de receita. O FPM, principal fonte de recursos, tem caído mês após mês. Apenas agora no mês de setembro, conforme dados da FAMUP, a estimativa de diminuição é de 25,5% em relação ao mês de outubro, que já tinha sofrido redução quando comparado ao mês anterior. “Sabemos se tratar de uma medida muito dura, mas inevitável e que foi discutida com os cargos que serão afetados. O pagamento da folha dos servidores e os serviços essenciais prestados a população não serão prejudicados”, disse o prefeito.

Lei AQUI a íntegra da Lei Municipal nº 1.021/2017.

As medidas de austeridade também atingirão outros aspectos relacionados a custos para o município. O Projeto de Lei oriundo do executivo foi encaminhado, amplamente discutido e aprovado na Câmara Municipal, suspendendo gastos com festas, apoio a eventos, premiações e patrocínios. A intenção é melhorar as contas públicas, amenizando para a prefeitura os impactos da grave crise que assola o país e que tem se acentuado nos últimos 09 (nove) meses. A recessão não afeta apenas os repasses recebidos pelo município, mas também a arrecadação de impostos municipais, que também tem sofrido muito por conta da desaceleração da economia local.

Segundo o prefeito, “é melhor cortar na própria carne do que prejudicar a cidade e os funcionários públicos do município”. Ele assegurou que a criação de novos cargos está suspensa e os secretários foram convocados a apresentarem relatório pormenorizado de funcionamento das secretarias para a redução de custos. “Situações extremas exigem atitudes extremas e coragem para enfrentar as dificuldades”, afirmou Fernando Naia.

Da Assessoria

Comentários