Pesquisa será bússola do PP para apoiar candidatura ao governo do Estado

Ainda está em andamento uma pesquisa encomendada pela direção do Partido Progressista (PP), na Paraíba, que servirá como bússola sobre tendências eleitorais para nortear a posição que a agremiação tomará com relação a candidaturas ao governo do Estado. O vice-prefeito de Campina Grande, Enivaldo Ribeiro, presidente do diretório regional do PP, revelou, ontem, em entrevista a uma emissora de rádio da Capital, que o PP apoiará “um candidato que o povo aceite”. Lembrou que imposições de nomes sem receptividade podem ser catastróficas – e deu como exemplo o pleito em que Argemiro de Figueiredo tentou impor a candidatura de Veneziano do Rêgo para prefeito de Campina e este perdeu para Elpídio de Almeida. Veneziano era avô do hoje deputado federal Veneziano Vital do Rêgo.

Enivaldo salientou que o PP tem conversado com várias lideranças políticas na tentativa de extrair um consenso. A agremiação não faz restrições maiores a quem quer que seja, mas questiona métodos de condução do lançamento de candidaturas. “O que nos preocupa é a forma como o processo está sendo conduzido em nome das oposições”, adiantou o pai da deputada estadual Daniella Ribeiro. Conforme Enivaldo, foi um erro tático o lançamento da candidatura de Lucélio Cartaxo (PV) ao governo com o apoio do PSDB e PSD, sem consulta aos demais partidos do chamado campo oposicionista. “Eles se precipitaram e lançaram uma chapa sem ouvir todos os partidos. Não se pode fazer política desagregando”, reiterou.

O presidente do Progressistas reafirmou opinião do seu filho, deputado federal Aguinaldo Ribeiro, de que o jogo com o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, estava zerado, não por parte do PP mas por parte do próprio partido do prefeito, o PV, e do PSDB, que lançaram uma chapa sem consultar os demais aliados. Enivaldo lembrou, ainda, que quando Luciano Cartaxo desistiu do desafio de ser candidato, o prefeito de Campina, Romero Rodrigues, resolveu também não aceitar, mesmo sabendo que teria grandes chances de vir a ser eleito. “Não sei porque ele não aceitou. O problema é de foro íntimo, do prefeito Romero”, prosseguiu, admitindo que o PP está intensificando conversações com o senador José Maranhão, presidente do diretório regional do MDB e pré-candidato a governador por essa legenda.

Por Blog Os Guedes



Comentários