Obra da Lagoa: Cartaxo teria desviado R$ 2 milhões para Lucélio e esposa de secretário facilitado fraudes

Valores teriam sido destinados à reeleição de Cartaxo e à candidatura de Lucélio ao Senado em 2014

Trecho do inquérito civil que investiga desvios de recursos destinados à reforma do Parque Solon de Lucena (Lagoa), durante a gestão do prefeito Luciano Cartaxo (PSD) e está tramitando no Ministério Público Federal (MPF), foi divulgado nesta quinta-feira (5). O irmão gêmeo do prefeito, Lucélio Cartaxo, teria recebido R$ 2 mihões, e esposa de secretário que trabalha em banco teria facilidade fraudes. As informações foram publicadas pelo portal Paraíba Já.

Leia também: Audiência Pública para discutir obras da Lagoa na Assembleia Legislativa é adiada para o dia 24

Conforme documento, uma denúncia que envolve o irmão gêmeo do prefeito, e presidente do PSD de João Pessoa, Lucélio Cartaxo, foi anexada ao inquérito que está no MPF.

A denúncia, recebida pelo procurador Yordan Delgado, responsável pelo inquérito, aponta recursos da obra teriam sido desviados para favorecer a reeleição de Cartaxo e a campanha para senador do seu irmão, Lucélio, nas eleições de 2014.

O denunciante, que solicitou sigilo, também cita o nome da esposa do secretário de Infraestrutura Cássio Andrade, Luciana Torres Maroja, que trabalha na Caixa Econômica Federal. Segundo a documentação, Luciana manipulou diretamente e indiretamente os laudos para a obra da Lagoa, facilitando assim os desvios de dinheiro da obra.

Já Lucélio Cartaxo, de acordo com o que consta na denúncia, recebeu a quantia de R$ 2 milhões. Conforme o denunciante, Lucélio comprou dois apartamentos, no bairro do Altiplano. Cada um teria custado R$ 1 milhão, valor não compatível com seus bens e renda na época.

Veja os documentos:

 

Comentários