O Simão Bacamarte de “O alienista de Machado de Assis”

Um juiz sequioso pelo poder político não pode continuar usando a toga. Isso é incompatível com a missão jurisdicional. O Moro, que já se deixou fotografar com o Temer, trocou amenidades com Aécio, recebeu afagos do Alckmin, agora, pousa novamente com o Dória durante evento de gala em Nova Iorque, sem o mínimo comedimento que um juiz deve ter. A que ponto chegamos, triste Brasil?

Moro cada vez mais se assemelha com o Simão Bacamarte de O alienista de Machado de Assis. O psiquiatra Simão Bacamarte internou uma cidade inteira por achar que todo mundo era doido. Depois, ele mesmo se internou, porque descobriu que o anormal – na verdade – era ele mesmo.

O Moro persegue, afasta, prende, condena sem provas, com provas, age nivelando culpados com inocentes, e segue cometendo – desenfreadamente – uma série de absurdos.

Seria Moro o Simão Bacamarte de hoje?

Por Radomércio Leite


d90d97fa-106d-4fbe-8c6c-2415ea9efbffRadomécio Leite de Sousa é Administrador de Empresas, e está concluindo o curso de Direito no Unipê. Atua com Consultoria em Gestão Pública, Privada e Relações Públicas, já tendo atuado nas Empresas Coteminas Indústria Têxtil, Energisa Paraíba e Borborema, Control Engenharia, Megaton Engenharia – Companhia Energética de Pernambuco – CELPE, Control Engenharia – Eletrobrás Amazonas Energia e Engeselt Engenharia.

 



Comentários