O calvário de Geraldo Alckmin. Por Ricardo Noblat

Geraldo Alckmin (PSDB) colheu, ontem, mais uma traição. O industrial Armando Monteiro Neto (PTB), candidato ao governo de Pernambuco, evitou ser visto ao lado dele na visita que Alckmin fez a Petrolina, cidade à margem do rio São Francisco e ligada por uma ponte a Juazeiro, na Bahia, reduto do PT.

O PTB de Monteiro Neto faz parte da coligação de nove partidos que apoiam Alckmin para presidente da República. Os dois companheiros de chapa de Monteiro Neto, candidatos ao Senado, apoiam Alckmin e o recepcionaram em Petrolina. Monteiro Neto apoia Lula, que não será candidato. Ainda não disse se apoiará Fernando Haddad (PT).

Na semana passada, foi o senador Ciro Nogueira, presidente do PP que apoia Alckmin e indicou sua vice, que desfilou em Teresina ao lado de Haddad, carregando uma faixa com o retrato de Lula. O Nordeste é um território hostil a Alckmin. Sem Lula candidato, quem cresce ali é Marina Silva (REDE) e Ciro Gomes (PDT).

Veja



Comentários