Justiça Eleitoral barra candidatura de Anthony Garotinho

O TRE-RJ já havia barrado a candidatura do ex-governador.

Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiram hoje (27), por unanimidade, barrar a candidatura de Anthony Garotinho (PRP) ao governo do Rio de Janeiro. O ex-governador do estado foi condenado em segunda instância, pelo Tribunal Regional da 2ª Região (TRF-2) no dia 4 de setembro e, portanto, não está enquadrado na Lei da Ficha Limpa.

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) já havia indeferido a candidatura de Garotinho ao governo do estado, mas a defesa entrou com um pedido no TSE para manter a sua candidatura. Os sete ministros do TSE votaram contra recurso da defesa.

Em 2010, Garotinho foi condenado a dois anos e seis meses de reclusão, em regime aberto, por formação de quadrilha. Ele teria se associado a outras pessoas, como seu ex-chefe de Polícia Álvaro Lins, para nomear delegados em delegacias estratégicas, a fim de beneficiar o criminoso Rogério de Andrade, na exploração de máquinas caça-níqueis, recebendo propinas em troca. Na época, ficaram conhecidos com a quadrilha dos Inhos. O principal criminoso adversário de Andrade era Fernando Ignácio, que era combatido pelos policiais.

No dia 6 deste mês, o TRF-2 manteve, por três votos a zero, a condenação do ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho e aumentou sua pena para quatro anos e seis meses de reclusão, em regime semiaberto.

De acordo com a Lei da Ficha Limpa, candidatos a cargos eletivos se tornam inelegíveis após a condenação em segunda instância.

Congresso em Foco



Comentários