Camila participa do “Frente a Frente” com Heron Cid e debate a importância da mulher na política

A representatividade feminina é cada vez maior de candidatas, porém ainda de forma tímida. Apesar dos avanços, ainda há preconceitos, exclusões e violência. Nos dias atuais é difícil ver a realização da democracia sem a participação das mulheres nas conquistas na política e nas entidades de classe, com o objetivo de construir uma sociedade mais justa e igualitária. Pelo menos é o que afirma a deputada estadual Camila Toscano (PSDB), que foi um das entrevistadas, na noite desta segunda-feira (30), no programa Frente a Frente, apresentado pelo jornalista Heron Cid, na TV Arapuan.

De acordo com a herdeira política do clã ‘Toscano’, em um mundo machista onde reina ainda elementos do regime patriarcal e conservadorismo, é preciso se impor para quebrar regras tradicionais e conquistar espaços. “Nós mulheres somos a maioria no Brasil, com o maior número de eleitoras. Estudamos mais, ocupamos mais de 40% dos postos de trabalho e somos responsáveis por 41% do rendimento familiar”, disse a deputada tucana.

A deputada oposicionista, disse que durante o mandato trabalhou bastante para retirar essa “marca” familiar. “Quando cheguei Assembleia comecei a trabalhar muito e andar em todas as regiões. Participei das comissões porque queria trabalhar e ter serviços prestados para conseguir uma identidade. Agora eu acredito que fiz o meu nome”, destacou.

Para Camila Toscano, com o “empoderamento” cada vez mais as mulheres querem representantes do sexo feminino na política. Entretanto, segundo a parlamentar, os partidos estão errando em não qualificar esses quadros.

Da Redação com Roberto Targino – Mais PB



Comentários